Informação da revista
Vol. 36. Núm. 5.
Páginas 395-396 (Maio 2017)
Partilhar
Partilhar
Baixar PDF
Mais opções do artigo
Vol. 36. Núm. 5.
Páginas 395-396 (Maio 2017)
Imagem em Cardiologia
DOI: 10.1016/j.repc.2016.04.017
Open Access
Uma descendente anterior com muitos lúmenes
Multiple lumens in a left anterior descending coronary artery
Visitas
...
Miguel Nobre Menezes
Autor para correspondência
mnmenezes.gm@gmail.com

Autor para correspondência:.
, Ana Rita G. Francisco, José António Duarte, Pedro Canas da Silva, Fausto J. Pinto
Hospital Universitário de Santa Maria/Centro Hospitalar Lisboa Norte, Centro Académico de Medicina de Lisboa, Centro Cardiovascular da Universidade de Lisboa, Faculdade de Medicina, Universidade de Lisboa, Lisboa, Portugal
Informação do artigo
Texto Completo
Baixar PDF
Estatísticas
Figuras (1)
Material adicional (4)
Texto Completo

Um doente de 67 anos com cardiopatia isquémica e fração de ejeção gravemente comprometida foi submetido a coronariografia, no contexto de um enfarte agudo do miocárdio sem supradesnivelamento de ST. A coronariografia revelou uma lesão na artéria coronária descendente anterior proximal (Vídeo 1). A aparência angiográfica da lesão não permitia esclarecer inequivocamente a sua natureza, tendo‐se colocado a hipótese de dissecção complexa versus trombo recanalizado. Nesse sentido, realizou‐se OCT (Figura 1 e Vídeo 2). A invulgar imagem obtida permitiu confirmar a presença de múltiplos lúmenes na artéria descendente anterior, aparentemente no contexto de recanalização de trombo, pelo que se procedeu à realização de angioplastia da descendente anterior com colocação de stent com fármaco, com excelente resultado final (Vídeos 3 e 4).

Figura 1.

OCT da lesão. Observam‐se múltiplos lúmenes no vaso. A imagem é sugestiva de trombo recanalizado.

(0,15MB).

A recanalização de trombos pode, por vezes, originar imagens angiográficas de grande complexidade, sugerindo inclusivamente etiologias que colocam maior desafio técnico, como dissecções complexas. A realização de métodos de imagem intracoronários, como OCT, permitem clarificar a natureza destas lesões e permitir o tratamento adequado, evitando ao mesmo tempo o desencadear de abordagens técnicas mais complexas com potencial iatrogenia.

Responsabilidades éticasProteção de pessoas e animais

Os autores declaram que para esta investigação não se realizaram experiências em seres humanos e/ou animais.

Confidencialidade dos dados

Os autores declaram que não aparecem dados de pacientes neste artigo.

Direito à privacidade e consentimento escrito

Os autores declaram que não aparecem dados de pacientes neste artigo.

Conflito de interesses

Os autores declaram não haver conflito de interesses.

Appendix A
Material suplementario

Vídeo 1: coronariografia diagnóstica.

Vídeo 2: OCT diagnóstico.

Vídeo 3: coronariografia a documentar bom resultado final.

Vídeo 4: OCT a documentar bom resultado final.

(1,34MB)
(27,7MB)
(1,26MB)
(23,98MB)

Copyright © 2017. Sociedade Portuguesa de Cardiologia
Idiomas
Revista Portuguesa de Cardiologia

Receba a nossa Newsletter

Opções de artigo
Ferramentas
Material Suplementar
en pt

Are you a health professional able to prescribe or dispense drugs?

Você é um profissional de saúde habilitado a prescrever ou dispensar medicamentos

Ao assinalar que é «Profissional de Saúde», declara conhecer e aceitar que a responsável pelo tratamento dos dados pessoais dos utilizadores da página de internet da Revista Portuguesa de Cardiologia (RPC), é esta entidade, com sede no Campo Grande, n.º 28, 13.º, 1700-093 Lisboa, com os telefones 217 970 685 e 217 817 630, fax 217 931 095 e com o endereço de correio eletrónico revista@spc.pt. Declaro para todos os fins, que assumo inteira responsabilidade pela veracidade e exatidão da afirmação aqui fornecida.